CONDIÇÕES PRECÁRIAS DE TRABALHO PODEM TER LEVADO A MORTE A ENFERMEIRA JANAÍNA
A morte da enfermeira Janaína Silva é mais uma entre tantas, que ocorre quase que rotineiramente por consequência, de uma rotina exaustiva e dilacerante, que ocorre normalmente no trabalho, levando ao cansaço e a inércia aos cuidados com a própria saúde e a não condição de um convívio familiar salutar.

Nós, profissionais de enfermagem também enfrentamos dupla ou tripla jornada, ganhamos pouco, e lidando com o sofrimento dos pacientes e dos usuários do SUS que muitas vezes são excluídos de atendimento de qualidade pelo SUS e muitas das vezes ficamos inertes sem tem poder de decisão.


A precarização das relações de trabalho de profissionais da enfermagem, em especial dos setores privados, tem sido norte para muitos transtornos mental, depressão, stresses, hipertensão, obesidade, entre outros, provocado muitas das vezes pela falta de insumos para execução adequada do trabalho e de sobrecarga nos ambientes laborais. provocando consumo de medicação por conta própria e sem fazer um tratamento adequado da saúde, até mesmo pela não liberação de alguns padrões para tratamento que possa necessitar.

Com a famigerada jornada 12x36 e sem piso salarial definido por lei federal, a enfermagem do setor privado, tem tido consequências graves por falta de uma politica de saúde do trabalhador que possa amenizar todo esses desgastes que pode levar a morte. Na grande maioria, nos dissídios coletivos dos profissionais da enfermagem, os patroes não cedem e se recursam a pactuar uma jornada de 120 horas mensal, onde no Brasil, a privatização segue galopante na saúde, e o trabalhador segue com sequelas também e muitos com doenças por invalidez.

Até quando, quase 3 milhões de profissionais de enfermagem no Brasil, continuará acontecendo essas fatalidades? ou Quantas Janaínas terão que morrer?

Termos que ser capazes de defender a maior profissão do SUS, exigir que respeite os profissionais de enfermagem, que acabe com pratica anti sindical. É preciso ter a capacidade de legislar no parlamento, só assim daremos um norte de conquistas. por isso, é importante que nossa classe esteja unida, e principalmente filiada ao sindicato, pois a sua filiação fortalece nossa base, permitindo defender os direitos trabalhistas com mais força. Quaisquer dúvidas, denúncias ou outros assuntos, entrem em contato ou envie uma mensagem instantânea diretamente para presidente, o numero é 91 98890-0590.


Com Informações: Midiamax



Conteúdos relacionados.

Agenda

Sede Sindical

Rua Santo Antonio, 316 Edifício Américo Nicolau da Costa, sala 201/202, entre Avenida Presidente Vargas e Travessa 1º de Março - Bairro: Campina - CEP: 66010-105 - Belém - Pará

Sede Campestre

Rodovia Augusto Meira Filho, 7020 - Km 05 PA 391 (Estrada de Mosqueiro) CEP: 68795-000 - Benevides - Pará

Contatos:
+55 (91) 98890.0590
presidencia@senpa.org.br
Atendimento nos dias úteis no horário comercial.
(91) 3242.5224
senpa@senpa.org.br
(91) 3222.8245 / 99969.9354
juridico@senpa.org.br
+ 55 (91) 99915.1333 / (SMS) 98866.6770
financeiro@senpa.org.br
fone/fax (91) 3242.5022